EM MEMORIA DE SANDRO BARRETO GUIMARÃES

✩15/09/1967 ✞14/02/2021

Criminosos atacam banco e fazem reféns em Cametá, no Pará

Caso ocorreu menos de 24 horas após ataque em Criciúma, em Santa Catarina. Imagens que circulam nas redes sociais mostram pessoas sendo feitas de reféns em Cametá, no Pará.
( Karine Dalla Valle)

A cidade de Cametá, no interior do Pará, região norte do Brasil, viveu momentos de tensão entre o fim da noite de terça (1°) e começo da madrugada desta quarta-feira (2).

Criminosos assaltaram ao menos um banco do município e fizeram reféns. O caso ocorreu menos de 24 horas depois do ataque em Criciúma, Santa Catarina. Uma pessoa morreu, segundo o prefeito da cidade. 

De acordo com a Polícia Militar de Cametá, o assalto foi de grandes proporções e os criminosos usavam armamento pesado. Os policiais, a postos no quartel, foram acuados, e os bandidos conseguiram fugir da cidade. A agência do Banco do Brasil foi atacada - assim como em Criciúma. 

Vizinho de agência assaltada, dentista colocou móveis em frente a porta: “Fiquei com medo de eles invadirem o prédio”

- Assalto muito grande. Não estamos a par da situação (no momento). Prenderam a gente num quartel. Não tivemos como sair. Ficamos acuados. Foram muitos (criminosos), de arma pesada, fuzil. Agora que estamos saindo daqui para verificar a situação - disse o sargento Amarildo Rodrigues, em entrevista por telefone à reportagem de GZH, por volta da 1h30min.

Uma nota divulgada em torno da 1h30min pela Secretaria de Segurança Pública do Pará dava conta de que não havia mortos. No entanto, o prefeito de Cametá, Waldoli Valente, ao se manifestar nas redes sociais para tranquilizar a população, escreveu que um "jovem perdeu a vida de forma covarde". 

Cametá é um município de cerca de 140 mil habitantes e a 235 quilômetros de distância da capital Belém. Ainda de acordo com a Polícia Militar, os bandidos saíram de Cametá a caminho de Tucuruí, ao sul do Pará. 

Ação semelhante a caso de Criciúma

A informação é de que cerca de 40 pessoas foram feitas reféns e foram usadas de escudo humano para ação dos bandidos. Elas estavam dispersas pelas ruas, algumas acompanhando um jogo de futebol em bares da região central da cidade, onde também fica o quartel da Polícia Militar e diversas agências bancárias. 

De acordo com a jornalista Gisele Henriques, 40 anos, moradora de Cametá, vários bancos foram atacados. A informação oficial, no entanto, é de que apenas o Banco do Brasil foi alvo dos criminosos. 

- Eles estiveram em todas as agências da bancárias da cidade. Deixaram um rastro de vandalismo. Foi uma ação semelhante ao caso de Criciúma - disse, em entrevista à Rádio Gaúcha.

O governador do Pará, Helder Barbalho, usou o Twitter para informar que estava acompanhando a situação e que as providências que estavam sendo tomadas. A Secretaria se Segurança Pública do Pará emitiu uma nota confirmando o assalto a um banco e informando que, de acordo com informações preliminares, não havia mortos. 

Veja a nota da Secretaria de Segurança Pública do Pará:

A Secretaria de Segurança Pública do Estado do Pará (Segup) informa que desde o momento que foi confirmado sobre o assalto a uma agência bancária no município de Cametá, equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), do Batalhão de Ações de Cães (Bac), da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE) e duas aeronaves do Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará (Graesp) se deslocaram para dar apoio no município. Segundo informações preliminares, não há mortos. Mais informações serão divulgados ao longo do dia.

Fonte: www.gauchazh.clicrbs.com.br

Comentários

To be published, comments must be reviewed by the administrator *

Postagem Anterior Próxima Postagem