Duas chuvas de meteoros vão iluminar o céu nesta semana; entenda

Leonídeos e Taurídeos podem trazer de três a dez meteoros por hora. Confira as dicas e horários para observar. 

Rafael Rigues 10/11/2020

Se você está procurando um "estrela cadente" para realizar um pedido, fique atento: nesta semana você terá duas boas oportunidades, graças às chuvas de meteoros taurídeos e leonídeos. Uma delas tem seu pico nesta semana, enquanto outra já está visível e chega ao ápice na próxima terça-feira (17).

Os Taurídeos

O primeiro "pico" é o dos meteoros Taurídeos, que tem esse nome pois parecem emanar da constelação de Touro. Ele acontecerá na madrugada de 12 de novembro, às 2h (horário de Brasília). Mas se você estiver em um local com céu limpo, pouca poluição luminosa e um pouco de sorte, poderá ver alguns meteoros antes mesmo desta data.

Considerando um observador em Brasília, a constelação de Touro aparecerá no horizonte a partir das 19h, entre o oeste e o noroeste. Sua melhor chance de observar algo é por volta da 01h00, quando ela estará no ponto mais alto do céu.

Entretanto, esteja ciente de que os Taurídeos são uma chuva de meteoros de baixa intensidade.

Segundo o site In the Sky, um observador em um local com céu limpo e escuro (sem poluiçao luminosa e durante a Lua Nova, por exemplo) pode esperar ver de três a cinco meteoros por hora.
Em 26 de outubro de 2020, um meteoro cruzou os céus da Bahia e assustou moradores da região. Foto: Bramon

Os Leonídeos

Já o pico da chuva dos Leonídeos será às 09h (horário de Brasília) do dia 17 de novembro, e devido ao horário não será visivel nos céus do Brasil. Mas assim como os Taurídeos, você poderá ver meteoros antes mesmo desta data, e até o dia 30 de novembro, embora em menor intensidade.

Os meteoros tem esse nome pois parecem emanar da constelação de Leo (o Leão), que começa a surgir no horizonte, ao leste, a partir da 01h (horário de Brasília) e estará completamente visível no céu a partir das 03h.

Os Leonídeos são restos do cometa 55P/Tempel-Tuttle. Segundo cálculos do site In the Sky, em condições ideais será possível ver até 10 meteoros por hora.

Como se orientar

Para facilitar a orientação e saber em que direção olhar, é importante identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque por meio de uma bússola ou app de astronomia em seu celular.

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: ?o sol nasce a leste e se põe a oeste?. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.
Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o ?Bússola?, que é parte do iOS. Para Android minha recomendação é o ?Apenas uma bússola?, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum

Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular junto com sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar. Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp, que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente. 

por Olhar Digital

Comentários

To be published, comments must be reviewed by the administrator *

Postagem Anterior Próxima Postagem