“As armas do lado de lá eram muito difíceis de se combater”, diz Capitão Wagner após derrota em Fortaleza

Wagner disse torcer para que Sarto (PDT) conquiste o eleitorado que votou no PROS. Foto: Divulgação.

O candidato a prefeito de Fortaleza, Capitão Wagner (PROS), foi derrotado por Sarto (PDT), no segundo turno do pleito da campanha deste ano, com 624.892 votos, conquistando 48,31% dos sufrágios computados.

Em entrevista coletiva após o resultado das urnas, o republicano afirmou que não faria nada diferente, destacando que sua chapa optou por menos tempo de TV, mas com mais tranquilidade para debater a cidade.

“A gente preferiu compor uma chapa com mais tranquilidade. Tivemos um resultado maravilhoso. Nossa campanha fez tudo certo, mas as armas do adversário são muito ferozes. A máquina do Governo, os partidos, os institutos de pesquisa, claramente trabalharam para o adversário. A gente não errou, mas as armas por lá eram difícil de combater”, disse.

De acordo com Wagner, o prefeito eleito terá como grande desafio apresentar uma gestão que possa agregar todos os partidos que estiveram do lado dele neste segundo turno. “Logicamente que eles querem ter espaço no Governo. Vai ter que tirar gente para atender esse ou aquele partido. A gente, por outro lado, está no mesmo campo desde o primeiro dia em que entrei na política”, afirmou.

Capitão Wagner lembrou que no pleito deste ano buscou se aproximar de figuras novas na política, como a candidata a vice-prefeita em sua chapa, a advogada Kamila Cardoso, que enfrentou uma eleição pela primeira vez. “Não me vendi, me aliei a pessoas novatas na política, o (senador) Eduardo Girão, que está do lado de cá, a Kamila Cardoso, o (vereador eleito) Carmelo Neto, pessoas novas na política como a (vereadora reeleita) Priscila Costa”.

A distância entre Sarto e Capitão Wagner também chamou a atenção após o resultado das urnas, uma vez que os institutos de pesquisa sinalizavam uma diferença bem maior entre os dois. O republicano atribuiu essa redução entre as duas candidaturas à coligação formada pelo pedetista nesta segunda etapa da disputa.

“O povo meio que não gosta quando todos os partidos, praticamente, se juntam de um lado só. Lá tinha o PSOL e o PSDB, o PCdoB com o DEM, algo muito difícil para o povo entender. Nossa candidatura foi livre, com uma composição desprendida. A gente estava preocupado com a situação social da cidade, por isso buscamos a Kamila para compor. Tivemos um resultado maravilhoso”, comentou.

“Quero agradecer ao povo de Fortaleza, os quase 625 mil eleitores que optaram por mim e pela Kamila para conduzir a cidade de Fortaleza. Diferente de tudo o que foi apresentado na véspera, alguns institutos falharam muito, a gente está muito feliz. A gente torce para que o próximo prefeito possa conquistar os eleitores que não acreditaram nele. A gente só tem que acreditar no caminho da população” –  (Capitão Wagner)

Questionado sobre  o futuro político, Wagner disse que vai “dar uma mergulhada, descansar com a família”, visto que a disputa nestes últimos dias foi acirrada, com muitas atividades de rua. “A gente praticamente não dormiu. O carinho das pessoas e a energia que tivemos nas urnas nos fez trabalhar com muita intensidade. E foi como eu falei, o resultado foi maravilhoso

Blog do Edison Silva

Comentários

To be published, comments must be reviewed by the administrator *

Postagem Anterior Próxima Postagem