"A política passa. A empresa Compescal emprega e contribui para o desenvolvimento do Aracati há 40 anos". Disse Junior Guedes na tribuna da Câmara Municipal

FOTO: do Facebook do vereador Jocelio Gondim em 26/08/2020
Em discurso esclarecedor utilizando a tribuna da Câmara Municipal de Aracati na sessão ordinária na noite de quarta-feira dia 26/08/2020, esteve o empresário Caetano Guedes Júnior, diretor geral do grupo multinacional Compescal - Comércio de Pescados, com matriz em Aracati e filiais espalhados por estados no Brasil e até em países no exterior. 

O pronunciamento de Junior Guedes, em muitos momentos em tom de desabafo mostrava certa decepção pelas atitudes estranhas que sua empresa vem "sendo mal interpretado" ou sendo "mal entendida" pelo órgão fiscalizador da prefeitura.

FOTO REPRODUÇÃO 
Após apresentar um resumo sobre o surgimento do grupo Compescal que há quatro décadas tem sido, ano após ano, o maior grupo empresarial gerador de empregos na região, Guedes fez alguns questionamentos e pediu apoio dos vereadores para que a prefeitura "deixe o grupo Compescal em paz para poder continuar trabalhando e gerando empregos contribuindo para o crescimento do município".


O Grupo Compescal começou a receber constantes visitas do IQUAMA - Instituto de Qualidade e Meio Ambiente do Município do Aracati, até mesmo acompanhado do procurador do município com intuito de multar e até realizar a apreensões de máquinas da empresa.


Guedes relatou na tribuna que:

"A prefeitura tem lavrado constantes autos de infração para a empresa, uma delas alegando que, a CELM estaria operando irregularmente 'numa rua' onde, até autorização e liberação de energia elétrica foi concedida pelo saudoso ex prefeito José Hamilton Saraiva Barbosa (há duas décadas) e só agora, após ser comprada pela Compescal, a empresa que estava fechada e mantinha apenas 28 funcionários, e meio às dificuldades nesse período crítico da pandemia conseguindo empregar mais 80 funcionários, é que a prefeitura começa a ver irregularidades?".


Júnior Guedes também relatou outro caso recente que aconteceu na empresa na praia de Canoa Quebrada quando: "os fiscais acompanhado do procurador do município foram com o objetivo de fazer a apreensão da máquina,  porque a ordem era apreender a máquina e teve que acionar três advogados para tentar reverter o quadro, gerando custos para a empresa que também teria sido multada sob acusação de descarte de dejetos na praia". 


Junior Guedes esclareceu ainda que a Compescal é uma multinacional que trabalha com responsabilidade ambiental, caso contrário não conseguiriam exportar e vender para vários países.


Foi explanado aos vereadores que a empresa dispõe de mais de 1000 empregos diretos e 4000 indiretos, tem gerado somente de ISS, um milhão e seiscentos mil reais podendo chegar a 2 milhões até o final do ano.


Razões políticas 


Por ser o grupo Compescal de propriedade do empresário Expedito Ferreira da Costa, por duas vezes prefeito do município do Aracati,  há fortes indícios de que se trata de uma perseguição politica por parte do atual prefeito Bismarck Maia por achar que, seria candidato único para as próximas eleições, mas o grupo político liderado pelo empresário e ex prefeito estaria fortalecendo um grupo de oposição e isso estaria tirando a tranquilidade do atual prefeito. 


Júnior Guedes dirigiu a palavra aos vereadores ligados ao prefeito Bismarck dizendo: "não estou aqui fazendo política. Eu apenas quero paz... me deixa trabalhar, o que eu quero é calma para poder trabalhar, a empresa Compescal pertence ao Sr. Expedito e ele gera empregos e crescimento para o município há 40 anos e vai continuar dono. Eu sou responsável por ela porque foi dividida em setores para gerar lucros, porque toda empresa visa gerar lucros e riqueza, e nós estamos gerando para o município do Aracati através dos empregos e impostos... Eu falei aqui em 2 milhões mas só de ISS,  mas com Imposto de Renda e Contribuição Social chega a 10 milhões de reais por ano. As empresas que temos em São Paulo e Minas são coordenadas por pessoas daqui, são formadas aqui no Aracati. Esqueça política meu amigo, a politica vai acontecer, entra prefeito e sai prefeito, Expedito doi 8 anos e saiu,  Ivan foi 4 anos e saiu... então todo mundo sai mas a empresa fica... já passamos por muitas crises e até torceram para a Compescal quebrar mas não vai ser quatro ou oito anos que vai quebrar a Compescal não..."


Na quinta feira (27) a população do Aracati amanheceu sob comentários negativos sobre a perseguição do prefeito contra a empresa que tem sido a grande saída para muitas famílias no município. A ausência de políticas públicas e incentivo aos empreendedores para atrair indústrias tem sido fato negativo dessa gestão atrelado ao descaso no setor saúde. 


Alguns comentários pelas redes sociais davam conta da preocupação das pessoas sobre uma suposta possibilidade de empresas do grupo sair para outros municípios. 


A perseguição ao grupo, na tentativa de intimidar e afastar o presidente das empresas da área politica pode ter gerado um valor aproximado de um milhão de reais em muitas.

Comentários

To be published, comments must be reviewed by the administrator *

Postagem Anterior Próxima Postagem