Post Top Ad

Covid-19 News

Post Top Ad

A morte de uma criança de três anos na noite dessa segunda-feira (20), no bairro Poço Redondo, em Russas, causou comoção na população. É que a menina foi espancada pelo pai, que também pode responder por estupro da pequena

O estupro teria sido descoberto quando o pai, identificado pelas iniciais NCGM e a companheira do homem com iniciais do nome EFL, que não é a mãe da menina, deram entrada para atendimento da criança, por volta de 18h, no Hospital e Casa de Saúde de Russas, alegando que a pequena havia se engasgado.

A equipe médica logo viu que a menina estava morta e com diversas marcas de agressões por todo o corpo, como explicou o delegado plantonista da Delegacia Regional de Polícia Civil de Russas, Eduardo Borges, em entrevista exclusiva ao diretor da Rádio Progresso, Luis Lopes. “O que foi apurado, até o momento, informações que chegaram ao nosso alcance, foi que a criança deu entrada no hospital pelo pai e por uma companheira. A princípio foi constatado, na criança, várias lesões, sinais de espaçamento e vários hematomas. Após isto o pai e a companheira fugiram do local, se evadiram”, disse.

O delegado Eduardo Borges comentou que embora a menina tivesse marca de agressões por todo o corpo, ainda era necessário esperar o resultado dos exames realizados na Perícia Forense para confirmar se houve ou não o estupro. “Com relação ao estupro não foi ainda verificado porque foi encaminhada para Pefoce para análise do médico de plantão para ser verificada essa questão de crime de natureza sexual”.

A fulga dos responsáveis pela criança leva a crer que eles são os autores da morte da menina, que estava na guarda do pai porque a mãe mora em outro estado, possivelmente o Rio Grande do Norte, de acordo com informações de familiares. Além disso, o Conselho Tutelar já havia registrado que a pequena já havia sofrido agressões de um dos avos.

O delegado disse que é o primeiro crime desta natureza que investiga e que por isso “é um caso que nos traz muita repugnância e com certeza vamos trazer justiça a morte desta criança.”

De acordo com o plantonista, a elucidação da morte da menina é tratada como prioridade pela Delegacia. “É um crime monstruoso, é um crime que causa impacto social na sociedade em si, e que define a nossa prioridade aqui, por isso estamos aqui até este momento tentando reunir o máximo de informações possíveis para chegar aos autores e trazer justiça a esta criança”, garantiu.

Eduardo Borges, adiantou que o pedido de prisão dos dois suspeitos já está em andamento. “Vamos pedir a prisão deles. Então, seria interessante, que eles comparecessem a delegacia para esclarecer os fatos o mais rápido possível”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad