Post Top Ad

Covid-19 News

Post Top Ad

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em live realizada na sua rede social confirmou mais três parcelas do auxílio emergencial. O presidente informou que o governo deseja pagar R$ 1.200 (um mil e duzentos reais) em três parcelas, sendo R$ 500, R$ 400 e R$ 300, respectivamente.

Mesmo o governo federal insistindo em pagar valores abaixo do que é pago atualmente, R$ 600, parlamentares estão se opondo a decisão e buscando em conjunto que o pagamento seja realizado em duas vezes de R$ 600.

Diferente do que o governo deseja, existem alguns projetos tramitando no Congresso, como a permanência do auxílio emergencial enquanto durar o estado de calamidade pública, decretado por conta do novo coronavírus. Entre os projetos, estão o PL 2.627/2020 do senador Jean Prates do PT. Outro que visa atender a mesma demanda, é o PL 3.426/2020, do senador Rodrigo Cunha do PSDB, que deseja tornar lei a obrigatoriedade do pagamento até o final do ano.

VEJA O CALENDÁRIO

Os depósitos serão realizados nas seguintes datas:

27 de junho – para quem nasceu em janeiro e fevereiro (pagamento do 1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

30 de junho – para quem nasceu em março e abril (pagamento do 1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

1º de julho – para quem nasceu em maio e junho (pagamento do 1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

2 de julho – para quem nasceu em julho e agosto (pagamento do 1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

3 de julho – para quem nasceu em setembro e outubro (pagamento do 1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

4 de julho – para quem nasceu em novembro e dezembro (pagamento do 1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

Para quem vai sacar em dinheiro, as datas serão o seguinte:

18 de julho – para quem nasceu em janeiro (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

25 de julho – para quem nasceu em fevereiro (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

1º de agosto – para quem nasceu em março (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

8 de agosto – para quem nasceu em abril (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

15 de agosto – para quem nasceu em maio (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

29 de agosto – para quem nasceu em junho (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

1º de setembro – para quem nasceu em julho (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

8 de setembro – para quem nasceu em agosto (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

10 de setembro – para quem nasceu em setembro (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

12 de setembro – para quem nasceu em outubro (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

15 de setembro – para quem nasceu em novembro (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)

19 de setembro – para quem nasceu em dezembro (1º lote da terceira parcela / do 2º lote da segunda parcela / e do 4º lote da primeira parcela)


QUAIS OS REQUISITOS PARA RECEBER MEU AUXÍLIO?

Durante três meses, será concedido o auxílio emergencial de R$ 600 ao trabalhador que cumpra todos estes requisitos:

ser maior de 18 anos de idade;

não ter emprego formal;

não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, à exceção do Bolsa Família;

ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135);

que, no ano de 2018, não tiver recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70

De Caique Macêdo
Brasil123

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad