Post Top Ad

Covid-19 News

Post Top Ad

A ansiedade atinge quase 10% dos brasileiros, causando um sentimento indefinido e desagradável de medo e apreensão devido a um perigo desconhecido. Quando é exagerada, torna-se um problema patológico que pode prejudicar bastante a qualidade de vida. Identificar os sinais da ansiedade é o primeiro passo para enfrentá-la. Continue a leitura para saber como fazer isto.

Afinal, para que serve a ansiedade?

Ansiedade é um mecanismo do nosso cérebro que serve para nos alertar em situações adversas e desconhecidas. Este mecanismo nos deixa alertas e também nos dá a chamada “descarga de adrenalina” para enfrentar situações adversas inesperadas.

Porém, a ansiedade em excesso pode ter efeito contrário e, simplesmente, paralisar uma pessoa. Nestes casos, ela torna-se patológica e precisa ser tratada.

Quando a ansiedade passa a ser patológica?

Quando a ansiedade passa a ser patológica, ela começa a prejudicar o dia a dia causando transtornos físicos e psicológicos. Por exemplo, quando você deixa de efetuar uma tarefa rotineira, falta a compromissos e quando a angústia que ela provoca começa a refletir fisicamente em seu corpo.



Nestes casos, ela se torna um distúrbio de ansiedade. Os reflexos físicos deste distúrbio são:

Tontura;
Tremores;
Sudorese;
Falta de ar;
Taquicardia;
Gagueira;
Insônia;
Desmaios.
Os tipos mais comuns de distúrbios de ansiedade são:

Fobias;
Transtorno obsessivo compulsivo;
Ataque de pânico;
Transtornos de estresse pós-traumático;
Ansiedade generalizada.
Como tratar a ansiedade?

Quando a ansiedade passa a ser patológica, é essencial marcar uma consulta com um médico psiquiatra. Após uma avalição e estudo do caso, o médico irá definir qual método de tratamento é o mais indicado para cada caso. Os tratamentos dividem-se em três tipos:

Acompanhamento terapêutico – com um psicólogo ou terapeuta;
Uso de medicamentos receitados e controlados;
A combinação dos dois fatores acima: medicamento e terapia.
5 atitudes contra a ansiedade para melhorar o seu dia a dia


Separe um momento do dia para se preocupar – tenha um horário específico para cultivar as aflições, mas apenas durante 20 ou 30 minutos.

Tenha um propósito e dedique-se a ele – jardinagem, trabalho voluntário, artesanato ou um pet. Qualquer atividade que não seja o trabalho que você faz para ganhar o seu sustento.

Faça exercícios físicos diariamente – não precisa ser em uma academia, você pode fazer caminhadas ou corridas em seu bairro, pular corda, andar de bicicleta ou praticar yoga.

Você tem depressão bipolar? Doença afeta 6 milhões de brasileiros
O que você passa é tristeza ou depressão?
A causa da depressão está no espírito?
Respire e inspire profundamente – sempre que você sentir que uma crise de ansiedade está para começar, vá para um local silencioso respire e inspire várias vezes e esvazie a mente.

Viva o presente – não remoa o passado ou tente prever o futuro.

Published 2 anos ago on 09/06/2018By Redação Cura Plena
preocupação
PFIZER

Referências

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462000000600006 – acessado em 23/02/2018

http://www.sbie.com.br/blog/conheca-os-tipos-de-ansiedade-mais-comuns/ – acessado em 23/02/2018

http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/254610/1/WHO-MSD-MER-2017.2-eng.pdf?ua=1 – acessado em 23/02/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad