OAB-CE pede substituição de construção de hospital no PV por uso de estruturas já existentes


Obras do hospital que está sendo construído no PV estão adiantadas (Foto: Fco. Fontenele / O POVO). 
A Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Ceará, solicitou à Prefeitura de Fortaleza que as obras no estádio Presidente Vargas, construídas para abrigar pessoas infectadas pelo novo coronavírus sejam substituídas pelo aproveitamento de estruturas hospitalares já existentes.

Em ofício emitido no dia 25 de março, a OAB-CE sugere alguns hospitais que tem Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas estão com equipamentos e espaços subutilizados. São eles o Hospital dos Arrumadores, Hospital Batista, Hospital dos Acidentados e o anexo do Frotinha da Parangaba.

A justificativa seriam gastos menores, menos tempo necessário para adequações estruturais e, após o período pandêmico, o hospital reativado continuará servindo a população.

As obras no PV, entretanto, estão avançadas e ao que parece a Prefeitura não atenderá a proposta da OAB. O hospital construído no equipamento esportivo deverá ter 204 leitos e ficar pronto até 20 de abril.

Melhor decisão

Em vídeo gravado para esclarecer sobre a opção de construir um hospital de campanha no PV, o prefeito Roberto Cláudio disse que a decisão foi tomada após ouvir vários profissionais e garante ser o melhor custo-benefício.

"Essa foi uma decisão tomada após alguns dias de reflexão, de analises de alternativas, com um conjunto de engenheiros, arquitetos e especialistas em saúde, que entenderam que a melhor alternativa, de melhor custo benefício, mais rápida, mais adequada na perspectiva de planejamento da arquitetura hospitalar, da redução de risco e segurança dos pacientes nesse momento era construir uma estrutura emergencial no estádio Presidente Vargas", disse.

O prefeito explicou também que a ideia é juntar o máximo de profissionais treinados para lidar com o covid-19 em um só lugar e ter atendimento para a doença em no máximo quatro hospitais, de forma a evitar o aumento do contágio.

"A construção desse hospital de campanha vai concentrar ao máximo os leitos e assistências aos pacientes com coronavírus; Isso vai evitar a contaminação de outros profissionais e pacientes, vai garantir que a gente concentre o maior número de profissionais num canto só, que os profissionais treinados estejam em no máximo quatro hospitais", explicou.

Por
BRENNO REBOUÇAS
17:02 | 29/03/2020
O Povo

Comentários

To be published, comments must be reviewed by the administrator *

Postagem Anterior Próxima Postagem