Cúpula da Segurança no Ceará vai a comando militar para definir atuação do Exército em Fortaleza/CE

O secretário da Segurança Pública do Ceará, André Costa, e outras autoridades da área no Estado participam, na manhã desta sexta-feira (21), de uma reunião com o comando da 10ª Região Militar, no Centro de Fortaleza. A principal pauta da reunião é tratar como o Exército via atuar juntamente com a Força Nacional , que está desde a quinta na Capital.  A partir deste encontro é que vai ser definido, por exemplo, quantos homens das forças armadas vão ser utilizados no trabalho de segurança e quando estes militares  vão sair para as ruas. A 10ª Região Militar atende tanto o Ceará como o Piauí. 

Além de André Costa e dos comandantes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, Guarda Municipal, Procuradoria de Justiça, Ministério da Defesa, estão na reunião o delegado geral da Polícia Civil, Marcos Rattacaso e o superintendente de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), Aloísio Lira.  

GLO e Força Nacional 

Os militares do Exército vão atuar nas ruas do Ceará mediante a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que possibilita o emprego das Forças Armadas em situações nas quais há o esgotamento das forças tradicionais de segurança pública e em graves situações de perturbação da ordem. A autorização para a GLO foi dada ainda na quinta-feira pelo presidente Jair Bolsonaro, atendendo a um pedido do governador Camilo Santana. O gestor do Estado destacou que “todo o esforço será feito para garantir a proteção dos nossos irmãos e irmãs cearenses”. 

Também na quinta, o Estado recebeu o reforço de 120 agentes da Força Nacional e 212 da Polícia Rodoviária Federal (PRF). A previsão é que até esta sexta-feira cheguem mais 15 veículos oficiais vindos de Brasília. As equipes devem ficar à disposição do governador, inicialmente, por 30 dias.

Os motins protagonizados por PMs já fizeram com que mais de 300 Inquéritos Policiais Militares (IPMs) fossem instaurados contra os servidores que participam da paralisação. Além disso, a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) também vem instaurando processos disciplinares contra os envolvidos. 

Ocorrências 

No fim da tarde de quinta-feira, câmeras de videomonitoramento flagraram um ataque protagonizado, supostamente, por policiais militares contra policiais civis. Por volta das 17h, uma viatura da Polícia Civil do Ceará foi interceptada por homens encapuzados. O ataque aconteceu no início da BR-222 (Avenida Mister Hull), em Fortaleza. As imagens mostram que um grupo de, pelo menos, 15 homens cercou o veículo impedindo que ele continuasse a trafegar. 

Os policiais que estavam dentro da viatura são obrigados a sair do carro. Conforme apurado pela reportagem, os civis vítimas são lotados na Delegacia da Mulher de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Eles retornavam da Delegacia de Capturas, localizada no Centro da capital, em direção à Delegacia da Mulher de Caucaia. Durante o ataque, o tráfego em uma das faixas da BR-222 ficou parcialmente interrompido. 

Pouco tempo depois, a Polícia Civil informou que uma equipe de policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) recuperou a viatura. Por nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou que os policiais civis que estavam no carro não foram lesionados e procedimentos cabíveis relacionados ao fato foram adotados. 

Em outra ocorrência, um soldado da PMCE foi preso. José Horlânio Dantas Moreira foi capturado pelo crime de incêndio, mas solto pela Justiça durante a tarde, após audiência de custódia realizada na 1ª Vara Criminal da Comarca do Crato.  

“Lamentavelmente, a conduta dele foi de tocar fogo em um carro particular de uma cidadã porque ela se manifestou nas redes sociais, manifestou seu pensamento de ser contrária ao movimento, aos motins realizados”, afirmou o secretário da Segurança Pública, André Costa.  

Ainda de acordo com a Secretaria, também na madrugada de quinta, a Cavalaria da Polícia Militar foi atacada por um grupo de pessoas encapuzadas a fim de sequestrarem viaturas da corporação. Contudo, segundo o órgão, “eles foram impedidos por policiais militares que estavam de serviço na unidade”.  

Atuação nas ruas 

Segundo a SSPDS, a Polícia Civil do Ceará e parte da Polícia Militar estão atuando nas ruas no trabalho de policiamento em todo o Estado “na proteção da população cearense para restabelecer a ordem pública evitando atos de vandalismo e outras condutas de insubordinação por parte de militares do Ceará”. 

Em nota, o órgão frisou que os investigados e os que abandonarem o serviço sofrerão punições previstas em lei e serão excluídos da folha de pagamento deste mês.

Diário do Nordeste

Com informações do Grupo Aracatipolicia24hs

Comentários

To be published, comments must be reviewed by the administrator *

Postagem Anterior Próxima Postagem