Batalhão do Raio em Sobral no Ceará é tomado por policiais adeptos ao movimento de paralisação

O Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) da Polícia Militar de Sobral (Norte do Ceará), onde também fica instalada a Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), foi tomado por um grupo policiais militares que aderiram ao movimento de paralisação dos agentes de segurança, na madrugada desta sexta-feira (21). O Raio é considerado como a "tropa de elite" da Polícia Militar do Estado.

Após uma vistoria no local, foi constatado que cerca de 15 viaturas e 20 motos tiveram os pneus esvaziados por militares. Aos poucos, militares e suas esposas começam a chegar e se concentrar na unidade.



Segundo um dos representantes do movimento presentes no batalhão, o grupo não concorda com a ação de alguns homens encapuzados que ordenaram o fechamento de comércios na cidade, na tarde da última quarta-feira (19).


MOTIM EM SOBRAL

Sobral também foi palco de outra ocorrência que quase resultou em tragédia. No fim da tarde de quarta-feira (19), o senador licenciado e ex-governador do Ceará Cid Gomes (PDT) foi atingido por dois tiros, enquanto tentou entrar em um quartel militar ocupado por homens mascarados com uma retroescavadeira.

As balas atingiram a região torácica de Cid Gomes, mas ele deixou o local andando e consciente. Na manhã do dia seguinte, o senador saiu da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi transferido para a enfermaria do Hospital do Coração de Sobral, vindo a ser transferido logo depois para uma unidade hospitalar em Fortaleza. 

REUNIÃO DA CÚPULA

Na manhã desta sexta-feira (21), o secretário da Segurança Pública do Ceará, André Costa, e outras autoridades da área no Estado participam de uma reunião com o comando da 10ª Região Militar, no Centro de Fortaleza.

A principal pauta é tratar como o Exército vai atuar juntamente com a Força Nacional, que está desde quinta na Capital.

A partir deste encontro, vai ser definido, por exemplo, quantos homens das Forças Armadas vão ser utilizados no trabalho de segurança e quando estes militares vão sair para as ruas. A 10ª Região Militar atende tanto ao Ceará como o Piauí. 


Mulheres dos policiais também aderiram à manifestação no Batalhão de Sobral, esvaziando pneus das viaturas Camila Lima

INVESTIGAÇÃO

Até quinta-feira (20), mais de 300 policiais militares passaram a ser investigados em Inquéritos Policial Militar (IPM) devido ao envolvimento nas paralisações dos trabalhos ocorridas desde a terça-feira (18). Além disso, processos disciplinares estão sendo instaurados na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD). 


A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE) informou que os investigados "sofrerão as punições previstas em lei e serão excluídos da folha de pagamento deste mês pela Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). 


ATUAÇÃO NAS RUAS 


Segundo a SSPDS, a Polícia Civil do Ceará e parte da Polícia Militar estão realizando um trabalho de policiamento nas ruas de todo o Estado, “na proteção da população cearense para restabelecer a ordem pública evitando atos de vandalismo e outras condutas de insubordinação por parte de militares do Ceará”.

Diário do Nordeste

Comentários

To be published, comments must be reviewed by the administrator *

Postagem Anterior Próxima Postagem