Quanto vale uma vida! Mãe da Karla Silvestre (25) vítima de feminicídio em Aracati/CE desabafa geral em rádio de Fortaleza



Publicidade
A entrevista aconteceu durante o programa "Painel Sem Meias Palavras" pela Rádio Cidade de Fortaleza.

A senhora Jô Batista Silvestre foi entrevistada pelo delegado Cesar Wagner que mostra através de laudo da Perícia Forense a causa da morte da vítima. 

Feminicídio e negligência médica, juntos a falta de compromisso da secretaria de saúde do município de Aracati através da inoperância da administração municipal em não priorizar pela existência de equipamentos hospitalares tem gerado muitas queixas de familiares de pacientes que enfrentam meses, e até mais de um ano a espera de exames como; ultrassonografia, tomografia ou até mesmo desprezando a possibilidade de transferências de casos graves para hospitais na capital, e em casos ocasionando até mesmo óbitos, tudo isso tem deixado parte da população apreensiva. 

Tragédia anunciada

Ainda sobre a morte de Karla Andreza Silvestre, o impressionante foi para o alerta do vereador Ivan Ferreira na sessão da Câmara Municipal de Aracati no dia dois (02) de outubro quando o mesmo alertava sobre, "o grande risco de acontecer algum acidente no município durante a noite e o hospital não ter um aparelho de ultrassom". 


Durante sessão da Câmara Municipal, vereador Ivan Ferreira fez discurso indignado quatro dias antes de Karla procurar atendimento em hospital público. O médico disse que; "o hospital não possuía aparelho de ultrassom". FOTO REPRODUÇÃO

Domingo (06/10), quatro dias posterior a reunião dos vereadores, a jovem Karla foi atingida por uma faca pelo ex marido. 

DETALHE: O requerimento do vereador Ivan Ferreira (que é radiologista) a gestão municipal solicitando urgência para aquisição do aparelho de ultrassom foi aprovado por unanimidade pelos vereadores, mas o prefeito simplesmente ignorou.

Quanto vale uma vida!

Em sua fala o vereador chegou a citar que, "um aparelho de ultrassom dos mais caros poderia chegar ao valor de cem mil reais (R$ 100.000,00) o que não seria nada para os cofres do município quando um aparelho desse poderia salvar vidas estando a disposição da população 24 horas por dia". 

Em pesquisa realizada em sites especializados na venda de aparelhos de ultrassom há vários tipos e modelos de todos os preços

Após receber facada do ex marido, Karla procurou atendimento nos hospitais públicos e, segundo denúncia da mãe da vítima na imprensa estadual um médico teria dito que, "a vítima não corria risco de morte e também não poderiam fazer nada mais pois o hospital não havia aparelho de ultrassom".

*Siga nosso site  www.aracatiemfoco.com
e fique sabendo sobre o que acontece no Aracati e região.

*A entrevista da mãe da Karla foi veiculada ao meio-dia desta-terça feira (22) no Aracati em Foco FM (baixe o app grátis pelo Play Story ou Rádios Net) Publicidade