Aracati 0 x 1 Seleção Zico. Reinauguração de estádio teve de tudo, até juíz 'expulso'



Publicidade
Prefeito de Aracati (camisas amarelo) entra em campo para pedir que juiz reconsidere expulsão do filho do Zico. Juíz prefere não mais apitar
Aconteceu no domingo dia 20/10/2019. Quase uma década sem futebol profissional no município de Aracati no litoral leste do Ceará, por três gestões de promessas de entrega da reforma da velha Cancha
, Estádio VT (Cel. Virgílio Távora), o que deveria ser uma tarde noite de festividade acabou virando um picadeiro de circo de quinta categoria.

O Prefeito Bismarck Maia contratou por R$ 115 mil reais um time de masters de ex jogadores cariocas e durante a partida, o que se viu foi desordem, festival de palavrões protagonizado pelo filho do Zico, Tiago Coimbra que também é o presidente da empresa ZICO 10. 


Pelas imagens da TV local (também de propriedade do prefeito da cidade) acrescidos de informações de um dos jogadores da seleção do Aracati, "o filho do Zico estava com o comportamento visivelmente estranho para quem se propõe a usar o nome do ex craque do Flamengo e Seleção Brasileira e, em campo causar discórdias entre os jogadores mais precisamente por desferir palavrões e ofensas contra os mesmos e respectivas mães do time da casa.

Ainda no primeiro tempo de jogo foi substituído por jogadas violentas, um atleta do "Dragão do Vale" como é carinhosamente chamado a seleção de Aracati, inclusive a pintura na entrada do estádio era apenas a cabeça do demônio, pois se a intenção era se parecer com um dragão, a falta da calda do bicho fez grande diferença de forma negativa principalmente entre os religiosos da cidade.

E a confusão só aumentava em campo. O árbitro do "espetáculo" amistoso, Tarcísio Melo acabou expulsando da partida devido mal comportamento, o "filho do Zico". A partir daí o árbitro passou a ser hostilizado pelo rapaz bastante alterado que se negava a se retirar do campo. A partir daí, novo personagem passou a fazer dupla na tentativa de desmoralizar o juíz da partida. Era o próprio prefeito "dono da festa", o senhor Bismarck Maia que entrou em campo com seu ar de autoritarismo que passou a intervir para que o juíz voltasse atrás e deixasse "o filho do Zico" em campo.

A partir daí, o juíz Tarcísio Melo, que em qualquer estádio (ou campo de várzea) do país e do mundo seria a maior autoridade em um jogo de futebol e que expulsou de forma lúcida um jogador problema, deve ter vivenciado seu pior momento na carreira profissional quando, precisou informar ao prefeito que "se o filho do Zico" ficasse em campo então ele mesmo se retirava. E foi o que aconteceu. Tarcísio Melo saiu sob aplausos da torcida mas não perderia sua moral.

Para os munícipes que acreditavam que participariam de uma festividade de início da semana da comemoração do aniversário da cidade, apenas restou vaiar os protagonistas nada desportivos, frustração de uma reinauguração vergonhosa e recheada de politicagens além de presenciar o prefeito mostrar uma outra face totalmente diferente do praticado em período nas eleições passadas ao desfilar junto àqueles que antes condenava como corruptos, incompetentes, corriolas e permitir que a poluição ambiental movidos pelos estampidos dos fogos de artifícios fosse causa de maior surpresa já que na campanha passada ficou conhecido por proteger do barulho idosos, crianças e animais.

O esporte aracatiense realmente entrará para a história do município. Há!, o resultado foi Aracati 0 x 1 Seleção Zico 10 , gol de Alex Dias Publicidade